O FUTURO DA IGREJA CATÓLICA NO BRASIL – PARTE 1

No dia 29/06/2012, o IBGE divulgou dados do Censo 2010 sobre religiões no Brasil. Este estudo aponta uma queda recorde na porcentagem de brasileiros que se dizem Católicos, fato que deixou alguns fiéis da Igreja apreensivos. Até mesmo alguns ateus estão desconfortáveis com esta nova realidade. Resolvi então desenvolver um artigo falando sobre o futuro da Igreja Católica. Ao iniciá-lo, vi que tinha muito a dizer. Por isso, precisei dividir o artigo em três partes. Nesta primeira, falo sobre a real dimensão da Igreja no Brasil hoje, mostrando que a situação não é tão alarmante como a imprensa noticiou.

Ao tomar conhecimento do novo Censo, a primeira pergunta que me veio à cabeça foi: quão grave é esta queda para a sustentação da Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil? Resposta: pouco grave, porque a Igreja é uma rocha.

Em Mt 7:24,25, Jesus Cristo diz que aquele que edifica sua casa sobre a rocha é um homem prudente. Virão ventos e tempestades, mas ela não será derrubada, pois está construída sobre um terreno firme. Já o imprudente constrói sua casa sobre a areia, cujo terreno frágil não dá nenhuma garantia contra as intempéries. Logo adiante, neste mesmo livro, em 16:18, Jesus nomeia Pedro como o líder responsável pela construção e expansão da Sua Igreja, dizendo: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja”. Fica claro nestas palavras do Filho de Deus que a Igreja Católica é o sustentáculo da fé cristã. É a Igreja que não se baseia em um homem despreparado, que interpreta a Bíblia à sua maneira. A Igreja Católica é fundamentada no Papa, sucessor direto de Pedro (a rocha de Jesus) e em seus instruídos Cardeais, Arcebispos e auxiliares.

As palavras do nosso Senhor já bastariam para nós, Católicos, nos acalmarmos. Mas elas ainda podem ser comprovadas em números. Porque, se compararmos dados absolutos de 2000 e 2010, vamos perceber que, em uma década, a diminuição da Igreja Católica é ínfima, apenas 1,6%. Isso mesmo! Em 10 anos, não mudou quase nada, continuamos grandes! Em 2000 a Igreja Católica contava com cerca de 125,3 milhões. Em 2010, somos 123,3 milhões. A Igreja Católica é o não é uma rocha?

Apesar da queda ter sido pequena, ela já era prevista pelo Papa Bento XVI. Não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Dizia ele quando ainda era Cardeal: “A Igreja diminuirá de tamanho. Mas dessa provação sairá uma Igreja que terá extraído uma grande força do processo de simplificação que atravessou, da capacidade renovada de olhar para dentro de si. Porque os habitantes de um mundo rigorosamente planificado se sentirão indizivelmente sós. Descobrirão, então, a pequena comunidade de fiéis como algo completamente novo. Como uma esperança que lhes cabe, como uma resposta que sempre procuraram secretamente.” Ou seja, está tudo sob controle. É uma queda prevista, porém diminuta. Continuamos grandes!

Na segunda parte desta série de artigos, vou falar sobre as razões que levaram a Igreja Católica à estagnação. E na terceira parte, vou propor soluções para a retomada do crescimento da única Igreja fundada por Jesus Cristo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


5 − two =

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>